Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Fruto das minhas lágrimas

por Liana, em 01.04.13

Não é que há já alguns dias que me anda a atormentar uma coisa. Ainda não sou capaz de o dizer, mas e que tal escrever cheio de rodeios, metáforas e mentiras para esconder um pouco daquilo que não passa com as horas dormidas? Tenho-me apercebido que sou um daqueles casos que chora pelo leite derramado. Vá não comecem já a julgar, eu explico. O que acontece é o seguinte: tenho fraca memória. Não me lembro dos tempos felizes acompanhados pela figura alta e forte, segura. Não sei como é, desculpem, como foi, o sorriso das boas-noites ou do abraço da manhã.  Sei hoje aquilo que me contam, as coisas boas calculo eu, então parece-me que é perfeito. Pelo que vejo nos álbuns que a minha avó guarda lá em casa, eu e a minha irmã herdámos a falha nos dentes. Não vou, nem quero, pôr o nome pois isso não faria diferença. Ainda hoje perguntei, sabendo já a reposta, mas mesmo assim querendo-a ouvir; se gostava muito de mim?. Acho que precisava de ouvir para saber e ter a certeza que fui um orgulho para ele. Lamento ele não estar para ver um pouco mais de mim, um eu mais crescida. Digo eu que ia gostar, mas não o posso dizer com certezas. Sou parecida com a filha, ainda uma menina a transformar-se em mulher e com saudades do avô.  Pergunto-me como foi o nosso momento de despedida, mesmo nós não sabendo. Terá sido bondoso e bom de relembrar? Acho que como a criança que era não percebi muito bem.

Hoje, ainda uma menina que adora receber colinho e que tenta fazer de tudo para agradar a avó.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


3 comentários

Imagem de perfil

dolcescrittora a 01.04.2013

acho que somos todos essa menina sempre. Aos olhos da família e em nós mesmas.
é um livro muito juvenil, mais leitura leve. Tenho de experimentar, então. ( a série esteve a dar novamente na tvi, penso)
Imagem de perfil

meninapequenina. a 03.04.2013

Há sempre lágrimas derramadas por vezes pelas saudades, outras pelo desconhecimento.
Não conheci o meu avô paterno,a minha avó e a minha tia morreram quando eu era criança, mas algo se prolongou desde essa altura e amo-os com toda a minha força de menina e de alguém que caminha para mulher.
Imagem de perfil

meninapequenina. a 07.04.2013

Muito obrigada!

Comentar post



Mais sobre mim


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D