Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



inspirações de outras mentes

por Liana, em 02.07.13

os nossos tristes assuntos

Tal como pedes eu trato
Dos nossos tristes assuntos
Já rasguei o teu retrato
E o outro em que estávamos juntos.

E o anel que tu me deste
Fui deitá-lo fora ao mar,
O vento soprava agreste
E não havia luar.

Há-de ficar-te a lembrança
Da nossa vida passada,
Eu, perdida a esperança,
Fico sem nada, sem nada.

Fica tu com as mentiras
Que te dizem estou bem
E outras mais que tu prefiras,
Que não as digo a mais ninguém.


Fico eu com as verdades
Tão duras, sem exagero,
E angústias e ansiedades
E agonia e despero,

Fico eu com o vazio
Da negra noite sem fim,
Nem sei, quem sou, tenho frio,
Estou comigo e sem mim

Não me conheço ao espelho :
Serei eu? Não serei eu?
Já deixou de ser vermelho
Um coração que bateu.

E assim eu me despedaço,
Sem salvação nem socorro :
Se não sou eu, me desgraço,
Se sou eu , sinto que morro.

 

Vasco Graça Moura

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De meninapequenina. a 02.07.2013 às 19:55

Este poema trás muita coisa amarga.
Sem imagem de perfil

De Marta a 03.07.2013 às 13:11

Este poema, apesar de ser bonito, está embebido em melancolia. (Mas as coisas mais belas costumam ser as mais taciturnas.)

Comentar post



Mais sobre mim


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D